share

Entenda a causa da morte de Anderson do Grupo Molejo


Ó cantor AndersonLeonardovocalista do grupo Molejo, morreu nesta sexta-feira (26), no Rio de Janeiro, aos 51 anos. O artista estava tratando um câncer inguinalum tipo raro de tumor que afeta toda a região da virilha, desde 2022, e esteve internado em hospital particular desde março deste ano.

De acordo com Denis Jardim, oncologista clínico e membro do Comitê de Tumores Geniturinários da SBOC (Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica), o “câncer inguinal“, na realidade, não é um tipo específico de câncer e, sim, um conjunto de cânceres que podem afetar a região inguinal.

“A região inguinal é a definição anatômica da parte popularmente conhecida como virilha, onde estão algumas estruturas importantes, principalmente festas fibróticas, pele, tendões e linfonodos — onde, frequentemente, ocorre a principal parte dos tumores dessa região”, explica o especialista à CNN.

Ou seja, o câncer inguinal, muitas vezes, está relacionado à metástase (espalhamento) de outros tumores para a região da virilha. Entre os tumores que estão relacionados ao surgimento do câncer na região inguinal estão o câncer de bexiga, câncer de pênis, câncer de colo de úterocâncer de vagina, câncer anal e câncer colorretal.

“É possível que tenham transformações que comecem nas próprias estruturas da região inguinal, que são os linfonodos. É o caso de algumas doenças hematológicas, como linfomas, que se apresentam como o aumento de nódulos na região inguinal, e os tumores na pele daquela região, como o carcinoma basocelular e o melanoma”, afirma Jardim.

Fatores de risco como tabagismo, consumo excessivo de álcool, infecções e doenças autoimunes estão relacionados a alguns tipos de câncer que podem afetar a região inguinal, segundo Breno Gusmão, oncohematologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Como identificar e tratar um câncer inguinal?

Os sintomas de câncer na região inguinal variam de acordo com as características do tumor. Geralmente, as manifestações mais comuns incluem:

  • Nódulo na região inguinal;
  • Dor local;
  • Sangramentos de nódulos e infecções secundárias;
  • Sintomas gerais, como febre, perda de apetite e perda de peso não justificada.

Ó diagnóstico do câncer inguinal é feito através da biópsia, coletada por uma agulha grossa, ou incisão cirúrgica. “Normalmente, se faz a remoção de um pedaço da lesão ou da lesão completa, e um exame de laboratório para identificar o tipo de câncer que o feriu”, afirma Jardim.

Já o tratamento varia de acordo com o tipo de neoplasia — se é linfoma ou outro tipo, ou, no caso de metástase, qual foi o câncer que se originou. “Para cada doença existe uma estratégia de tratamento, assim como a quão avançada é a doença, se localizada ou divulgada”, diz Gusmão.

As opções de tratamento podem incluir cirurgia, acompanhada ou não de radioterapia, e, em alguns casos, quimioterapia.



Fonte: CNN Brasil

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *